Lançamento do estudo "A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira"

ActionAid e FASE lançam estudo sobre avanço da rota de exportação para a China no Tapajós

Por: ActionAid/Fase
De Rio Janeiro
Fonte: ActionAid/Fase

Geopol_Fase.JPG

As organizações ActionAid e FASE lançam na sexta-feira, dia 01 de dezembro, o relatório “A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira”. O documento mostra o avanço, sobre a região, da rota de exportação do agronegócio em direção ao país asiático, e chama atenção para seus impactos socioambientais. O evento de lançamento acontece a partir das 18h30 no Centro Cultural/UFMT, em Cuiabá, e será marcado por um debate.

Participarão da mesa Diana Aguiar, do Grupo Nacional de Assessoria (GNA) da FASE e autora do documento, Gerardo Cerdas Vega, analista de Políticas e Programas da ActionAid no Brasil e coordenador editorial do estudo, e Sara Pereira, educadora do programa da FASE na Amazônia, ativista e residente em Santarém, cidade que sofre intensamente os efeitos da expansão dos projetos de infraestrutura sobre o Tapajós.

“Os investimentos no megacorredor de comércio respondem à convergência de interesses de ruralistas do Brasil Central, das grandes tradings que exploram o comércio de commodities agrícolas globalmente, e da demanda chinesa por soja, sobretudo para ração animal, em razão do consumo crescente de carne naquele país. Os programas e planos governamentais têm historicamente se alinhado a esses interesses, passando por cima de uma pergunta-chave: desenvolvimento para quê e para quem?”, diz Diana.

O estudo reúne mapas, dados e análises dos principais investimentos na região, relatos sobre seus desdobramentos sociais e ambientais e sua conexão com o panorama mais amplo do investimento em infraestrutura logística no Brasil. O resultado é um retrato completo das consequências, para os povos do Tapajós, da “relevância” que a China assumiu para a economia brasileira.

“Para a ActionAid, entender as dinâmicas de expansão territorial na Amazônia brasileira é central para entender as formas como a pobreza é reproduzida em escala cada vez maior pelas mesmas forças que geram uma gigantesca acumulação de riqueza, que em nada beneficia os povos tradicionais que sofrem com a implantação de grandes obras de infraestrutura para escoamento de soja e outras commodities”, explica Gerardo.

A publicação é fruto de uma parceria institucional entre ActionAid e FASE, com apoio da Mott Foundation, e tem distribuição gratuita.


Lançamento do estudo “A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira”

QUANDO? 01 DE DEZEMBRO ÀS 18H

ONDE? CENTRO CULTURAL UFMT

Conteúdo relacionado

Ações do estado de MT contra territórios tradicionais são derrubadas no STF. Quilombolas e indígenas manifestam-se em Brasília e em Cuiabá.
A parte que nos cabe neste latifúndio
MAIS UMA CHACINA ANUNCIADA EM MATO GROSSO
As diferentes facetas do retrato da violência no campo em Mato Grosso
Modelo de regularização fundiária não inclui pequeno produtor, diz fórum
V Mostra socioambiental do Araguaia "Nós somos terra"
Indígenas da Bacia do Teles Pires se mobilizam, em Brasília, por seus direitos frente a empreendimentos hidrelétricos
Formad recomenda modelos de regularização ambiental adaptados à realidade da agricultura familiar e de povos e comunidades tradicionais.
Dois casos sérios de agrocombustiveis
MULHER: SEMENTE DE VIDA E RESISTÊNCIA
Organizações lançam propostas socioambientais para a agenda política de Mato Grosso
Organizações lançam estudos sobre as atuais ameaças ao bioma Pantanal
Dia 3 de dezembro: Mato Grosso vai às ruas exigir o fim do uso de agrotóxicos!
Usina Teles Pires: Justiça ordena parar e governo federal libera operação, com base em suspensão de segurança
Organizações lançam nota em apoio à operação "Terra Prometida" em Mato Grosso
03 de dezembro: Ato contra o uso de agrotóxicos em Cuiabá
Dossiê Abrasco: o grito contra o silêncio opressivo do agronegócio.
Encíclica papal aborda desigualdades na agricultura
Dossiê sobre agrotóxicos será lançado em Cuiabá e Rondonópolis
Pantanal por inteiro, não pela metade