Dossiê sobre agrotóxicos será lançado em Cuiabá e Rondonópolis


 

Na próxima semana será lançado o “Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde”; nos dias 23 em Cuiabá, 24 e 25 em Rondonópolis. Os eventos, realizados pela Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, são gratuitos e abertos ao público em geral. Haverá palestras e seminários com autores, pesquisadores e militantes de movimentos sociais.

O livro é uma produção da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), junto à Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e à livraria Expressão Popular. Além de informações atualizadas do dossiê de 2012, o novo material apresenta uma quarta parte, inédita, com relatos sobre casos de pulverização e sobre o cenário de desregulamentação dos agrotóxicos. O capítulo também aborda as lutas pela redução do uso de agrotóxicos e a proposta de transição do agronegócio para a agroecologia.

De acordo com a biomédica Karen Friedrich, do Instituto Nacional de Qualidade em Saúde da Fiocruz, uma das organizadoras do livro, o Dossiê mostra que os agrotóxicos são um grave problema para a saúde, em especial no campo. Segundo ela, o conteúdo do livro garante um outro tipo de informação à população. “Informações científicas sobre os impactos dos agrotóxicos à saúde para que a sociedade tome conhecimento e possa discutir o modelo econômico vigente”, explicou.

Franciléia Paula de Castro, técnica da Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educional (FASE) e mestranda em Saúde, Trabalho, Meio Ambiente e Movimentos Sociais da Fiocruz, explicou que é de suma importância a sociedade mato-grossense participar do lançamento do Dossiê, onde as consequências são ainda mais problemáticas do que em outros estados. “A situação é mais gritante no Mato Grosso pois a fiscalização é claramente deficiente e a legislação não é respeitada. O brasileiro consome em média 5,2 litros de agrotóxicos ao ano e o mato-grossense chega a ingerir uma média de 40 litros por ano”, lamentou a técnica.

Além de Karen Friedrich e Franciléia Paula de Castro, os eventos em Cuiabá e em Rondonópolis contarão com palestra de Maria Eduarda Melo, nutricionista da Unidade Técnica de Alimentação, Nutrição e Câncer do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) e Wanderlei Antonio Pignati, médico e pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), responsável pelo grupo de trabalho de saúde do trabalhador do “Dossiê Abrasco”.

Para o lançamento de Rondonópolis está confirmada, também, a participação de Leomar Daroncho, representante do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos. Exclusivamente nessa cidade, no dia 25, Karen Friedrich e Maria Eduarda Melo irão ministrar um seminário sobre agrotóxicos e câncer e Wanderlei Pignati e Leomar Daroncho falarão sobre os impactos que a fábrica de agrotóxicos Nortox causa à população.

Programação

23 de julho – Cuiabá

Local: Escola de Saúde Pública – Avenida Av. Adauto Botelho, 552, Coophema.

17h – Café de acolhida
18h – Mística de abertura
18h30 – Mesa de abertura
19h às 21h – Lançamento do livro “Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde”.

24 e 25 de julho – Rondonópolis

Local: Centro Multiuso Joaquim Ramalho, sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais –Rua Casimiro de Abreu, (s/n°), Jardim Liberdade.

24/07

19h às 21h – Lançamento do livro “Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde”.

25/07

9 às 12h – Mesa 01 – Agrotóxicos e Câncer.
14 às 16h – Mesa 02 – Fábrica de Agrotóxicos Nortox: impactos na saúde da população rondonopolitana.

Assessoria de imprensa:

Andrés Pasquis (Grupo de Intercâmbio em Agroecologia - Gias) – gias.comunicacao@gmail.com.

Dafne Spolti (Formad) – comunicacao@formad.com.br.

Paulo Wagner Moura de Oliveira (Instituto Cidade Amiga) – paulo.oliveira@icv.org.br.

Conteúdo relacionado

Ações do estado de MT contra territórios tradicionais são derrubadas no STF. Quilombolas e indígenas manifestam-se em Brasília e em Cuiabá.
As diferentes facetas do retrato da violência no campo em Mato Grosso
Modelo de regularização fundiária não inclui pequeno produtor, diz fórum
V Mostra socioambiental do Araguaia "Nós somos terra"
Indígenas da Bacia do Teles Pires se mobilizam, em Brasília, por seus direitos frente a empreendimentos hidrelétricos
Formad recomenda modelos de regularização ambiental adaptados à realidade da agricultura familiar e de povos e comunidades tradicionais.
Dois casos sérios de agrocombustiveis
MULHER: SEMENTE DE VIDA E RESISTÊNCIA
Organizações lançam propostas socioambientais para a agenda política de Mato Grosso
Organizações lançam estudos sobre as atuais ameaças ao bioma Pantanal
Dia 3 de dezembro: Mato Grosso vai às ruas exigir o fim do uso de agrotóxicos!
Usina Teles Pires: Justiça ordena parar e governo federal libera operação, com base em suspensão de segurança
Organizações lançam nota em apoio à operação "Terra Prometida" em Mato Grosso
03 de dezembro: Ato contra o uso de agrotóxicos em Cuiabá
Dossiê Abrasco: o grito contra o silêncio opressivo do agronegócio.
Encíclica papal aborda desigualdades na agricultura
Pantanal por inteiro, não pela metade
ICMS Ecológico: O potencial de um imposto
Em Defesa da Vocação do Rio Paraguai / Pantanal
Batalha contra os Agrotóxicos